Saiba quais são os 11 principais sinais de um trabalhador que está estressado.


Um ambiente de trabalho ruim, pode ser um fator totalmente favorável para o desenvolvimento do estresse. O colaborador pode desenvolver diversos sintomas devido às condições presentes no ambiente de trabalho, como a competitividade, o ritmo de trabalho, a forma como acontece os relacionamentos interpessoais, etc.


Mas muitas vezes quem está sofrendo com estresse tenta lidar diretamente com os sintomas e não com a causa propriamente dita. Por exemplo, lidar com as dores de cabeça, com os problemas gastrointestinais, com a alteração de humor, apetite e sono, podendo acabar se automedicando e deixando de tratar o cerne do problema.


Para saber se você esta estressado, leia o texto abaixo.


Os 11 principais sinais de um trabalhador estressado.


1. Tensão

Um dos primeiros sinais é a tensão no dia a dia, adrenalina alta, respiração ofegante e batimentos cardíacos altos. Essa é a primeira fase do estresse, que é chamada de fase alerta, na qual o organismo responde ao estímulo estressor com o objetivo de proteção. Por isso, o trabalhador se vê, inicialmente, tenso, com preocupação e sempre alerta.


2. Problemas Gastrointestinais


Se o trabalhador nunca apresentou nenhum problema digestivo ou no estômago, como diarreia, prisão de ventre, dores no estômago, úlcera, azia, etc., é recomendado que analise quando estes problemas iniciaram, buscando relacioná-los com o estímulo estressor, pois estes problemas são característicos de um trabalhador estressado.


3. Irritabilidade


O colaborador se irritar com mais facilidade, menos tolerante, menos paciente nos relacionamentos e na forma como executa suas tarefas profissionais.


4. Fadiga em excesso


Outro sinal é a fadiga, neste caso é preciso que o trabalhador observe e compare se ele tem sentido o cansaço com mais facilidade e mais rapidamente do que antes do estímulo estressor.


5. Alterações do sono e apetite.


O trabalhador estressado geralmente apresenta insônia ou excesso de sono, bem como aumento ou perda de apetite, isso caracteriza a segunda fase que se chama fase de resistência, pois o organismo tenta reestabelecer um equilíbrio, tentando se recuperar. Dessa forma, quando houver os sinais relacionados ao sono e ao apetite, o trabalhador deve ficar mais atento e buscar tratamento, caso ainda não tenha procurado ajuda profissional.


6. Pensamentos repetitivos do problema


Obsessões são pensamentos repetitivos, os quais possuem o mesmo conteúdo sempre. Dessa forma, um dos sinais mais evidentes de um trabalhador estressor é quando ele está sempre ligado mentalmente com o fator presente no seu ambiente de trabalho, sempre quer conversar sobre isso com as pessoas ao redor, reclamando e contando sobre tal condição, se vê pensando e sonhando sobre tal fator frequentemente.


7. Aparecimento de doenças e distúrbios


Se o trabalhador jamais tenha apresentado determinadas doenças e após o evento estressor, passa a apresentar doenças dermatológicas, hipertensão, queda de cabelo, tontura, cefaleia constante. Estas são consequências muito comuns em um trabalhador estressado, por isso, é preciso considerá-las como sinais do estresse organizacional.


8. Queda na produtividade


O trabalhador estressado logo percebe sua competência, seu comportamento no trabalho e sua produtividade serem alterados, isto é decorrente do cansaço, das obsessões, das doenças que surgem, da irritabilidade, etc. Então, o principal sinal apresentado na atividade profissional é a queda na produtividade.


9. Apatia e episódios depressivos


Caso o estresse não tenha sido identificado com os primeiros sinais e tratado devidamente, o quadro tende a piorar cada vez mais, principalmente se o fator estressante não for interrompido e continuar presente. Nesse caso, o trabalhador estressado começa a desenvolver sintomas depressivos, se tornando apático, isto é, sem esboçar emoções e reações, podendo desenvolver definitivamente transtornos psicológicos, como a depressão maior, fobias, ansiedade generalizada, etc.


10. Incapacitação


Quando o trabalhador chega à fase de exaustão, ele se torna totalmente incapacitado de trabalhar, não existe ânimo, motivação, energia física e nem condição psicológica para que o trabalhador estressado consiga ir ao trabalho e desempenhar suas tarefas normalmente.


Se você apresenta mais da metade destes sinais, é provável que você seja um trabalhador estressado e que se encontra na segunda fase do estresse. Para confirmar isso, é preciso visitar um profissional, isto é, um psicólogo, para que ele realize o diagnóstico e dirija o tratamento adequado.


11. Ansiedade

Muitas vezes o colaborador se sente tão ansioso que nem consegue ir trabalhar e essa ansiedade pode evoluir para patologias mais graves.


Siga o Blog Alfa Saúde Ocupacional no Instagram, Facebook .